Segurança digital no Brasil: boas práticas para empresas

A pandemia do novo coronavírus afetou as empresas, principalmente as áreas de TI, que precisaram se preocupar ainda mais com a segurança digital.

Com os funcionários em home office, aumentou a vulnerabilidade das empresas em relação aos seus dados de negócio e também de clientes, muito por conta dos cibercriminosos, com ataques virtuais cada vez mais elaborados.

Baixe o e-book: LGPD: proteja seus dados de negócio e clientes

Os ataques virtuais aumentaram na pandemia

Em 2020, foram registradas mais de 8,4 bilhões de tentativas de ciberataques no Brasil, de um total de 41 bilhões em toda a América Latina e Caribe. Segundo o estudo, somente nos meses de outubro, novembro e dezembro, foram 5 bilhões de tentativas de ataques no país.

A área da Educação é alvo dos cibercriminosos

Com a pandemia do novo coronavírus, as escolas tiveram que ser fechadas e as aulas passaram a ser realizadas de forma online, através das mais diversas plataformas de comunicação online disponíveis no mercado. 

Leia também: Educação pós-pandemia: como a tecnologia transformou o setor

Segundo um levantamento da Kaspersky, criminosos cibernéticos se aproveitaram dessa tendência. Durante o segundo semestre de 2020, o número de ataques nessas plataformas foi 60% maior do que nos primeiros meses do ano

Além disso, se compararmos a quantidade de incidentes entre os meses de julho e dezembro, o crescimento foi de 20.000% em relação ao mesmo período de 2019. Ao todo, foram registrados um total de 270 mil ocorrências desse tipo.

As empresas estão vulneráveis

Segundo pesquisa da Avast, 58% dos funcionários no Brasil não recebem suporte tecnológico ou orientações devidas de segurança de suas empresas para o trabalho remoto. O levantamento foi realizado com usuários brasileiros do programa.

Apresentados esses números, é fácil notar que a segurança digital deve ser tratada com mais seriedade pelas empresas, principalmente na área da Educação, mas também nos demais setores.

A importância da segurança digital para as empresas

Em mãos erradas, informações sensíveis de uma empresa podem trazer prejuízos não apenas financeiros, mas também operacionais e que podem manchar a imagem do negócio perante o mercado.

As empresas são cada vez mais digitais. Neste cenário, a segurança digital é fundamental para blindar os negócios de ataques virtuais, roubo, perda e extravio de dados, falhas tecnológicas e humanas, entre outros imprevistos.

Em tempos de trabalho remoto, a segurança digital é ainda mais importante e não deve ser negligenciada. Uma proteção fraca pode interromper temporariamente as atividades empresariais e até levar a organização à falência.

Os desafios

Na maioria das empresas, estes são os principais desafios identificados. Confira e, a seguir, conheça boas práticas para superar esses obstáculos.

Máquinas inseguras

A segurança do dispositivo é um requisito muitas vezes ignorado pelas empresas. Prefira equipamentos com recursos de segurança avançados como leitor biométrico, reconhecimento facial, privacidade da webcam, entre outros.

Conexões vulneráveis

As conexões residenciais são mais vulneráveis que as empresariais. Em home office, os funcionários podem mudar a senha do roteador e também utilizar uma rede VPN para uma conexão mais segura.

Senhas fracas

Além de mudar a senha do roteador, seus funcionários também podem alterar senhas de acesso aos equipamentos, e-mails e também os logins de programas e softwares utilizados para o trabalho.

Antivírus desatualizados

As máquinas dos seus colaboradores têm antivírus? Se sim, esses softwares são atualizados? É bom que você saiba as respostas para essas perguntas. Parece simples, mas essa é uma parte importante da sua segurança digital.

As boas práticas

Confira dicas valiosas para garantir sua segurança digital.

Antes de tudo, realize uma análise minuciosa

Faça um relatório completo sobre a quantidade e o modelo de cada equipamento do seu parque de máquinas. Avalie os recursos de segurança de cada dispositivo bem como o status de cada um dos seus softwares.

Nessa avaliação, você deve considerar tecnologias, softwares empresariais e outros como antivírus, conexão de rede e acessos dos seus funcionários.

Faça um levantamento completo dos seus ativos de TI, defina ou atualize sua Política de Segurança da Informação (PSI), faça um estudo sobre os acessos aos seus sistemas e claro, reserve orçamento para investimentos em segurança digital.

Baixe grátis a planilha: Gestão do Inventário de Tecnologia

Atualize hardware e software

Utilize sempre desktops, notebooks e aplicações atualizadas para evitar problemas, que podem acontecer em versões de equipamentos e softwares desatualizados. Lembre-se também de atualizar o sistema operacional de suas máquinas.

Utilize a nuvem

O armazenamento em nuvem é ideal para armazenar, criar, editar e compartilhar documentos, planilhas e outros registros importantes, com facilidade e segurança.

Evite os periféricos

Pen drives e HDs externos são dispositivos periféricos que podem conter vírus e, quando uma ameaça é inserida diretamente no hardware, é difícil combatê-la.

Faça backups constantes

Na nuvem, é possível fazer backups programados para manter seus dados sempre protegidos para fácil consulta, sempre que você precisar.

É isso! Siga essas dicas e proteja o seu negócio de qualquer tipo de ataque.

Conheça ThinkShield: as mais avançadas medidas de segurança do mercado, com um portfólio que combina inovação, processos e parcerias para a sua empresa. Durante todo o ciclo de vida de nossos dispositivos, a nossa prioridade é proteger a sua empresa, desde o desenvolvimento até a substituição de cada produto. 

Clique aqui e saiba mais!


Compartilhe

Faça parte da transformação
inteligente! Assine nossa
newsletter e receba conteúdos
ricos sobre tecnologia, inovação,
gestão e muito mais.